quinta-feira, julho 23, 2009

Mando respondeu

Mando respondeu a Ilser, logo que puder coloco aqui a sua carta.

quarta-feira, julho 22, 2009

Retatuame

Tal como antes prometi, eis o email que Ilser mandou para Mando por meu intermédio. Vamos a ver o que vai passar-se a seguir:
Quelimane, 18 de Julho de 2009
Mando
Sabes, sei que esta carta te irá chocar, chocar muito.
Faz muito tempo já que a nossa relação terminou, não, afinal, por tua culpa, mas por culpa minha.
Ao longo de todo este tempo, fui andando na vida da forma que as folhas que tombam das árvores andam: hesitantes primeiro em sua queda voajante, definitivas e estrebuchantes depois em seus parados lugares sem vida.
E aqui me tens a tentar o recontacto, nesta cidade onde a única coisa que acontece é nada acontecer.
Mando: redeixa-me habitar-te.
Sabes, nunca te deixei. Retatuame. Sem travessão. Peçote. Também sem travessão.
Perdoa-me. Sofro, sofro muito.
Tua.
Ilser

Uma coisa terminada, outra a recomeçar

-Jussane vc está aí?
-Sim, estou.
-Sabe estou pensando que nossa relação não está dando. Melhor terminar, tá?
-Tá, tatá Mussalinha!
-Ciao.
-Reciao!
Adenda 1: assim reproduzo o diálogo - seco, mas real e necessário - final entre Mussalinha e Mussane, encetado em Dezembro do ano passado via skype. Soube que Mussalinha bloqueou Jussane e se foi para sempre. Mas saibam uma coisa: recebi um email de Ilser. Lembram-se dela? Acreditam que ela quer retomar o diálogo com Mando (recordem aqui)? Já fiz um forward para ele. Dentro de algum tempo, divulgo aqui a carta dela. Como bem reparam, a história é, afinal, uma destino à Heráclito: uma coisa pode terminar e outra começar ou recomeçar.
Adenda 2: recebi um email da Penélope (São Paulo), dando-me conta de que também escreve cartas de amor. Pois bem, confiram o seu portal, aqui.

sexta-feira, julho 10, 2009

Vc está aí?

-Hei! Jussane vc está aí? Parece que não...

quinta-feira, julho 09, 2009

Voltei

-Voltei. Estás? Bem, olha, sabe que voltei, andarei por aqui sempre que possível...