segunda-feira, julho 23, 2007

Blogue da semana em "Links&Sites"

Este portal figura como um dos blogues da semana no "Links&Sites".

domingo, julho 22, 2007

Amoremos agora

(Ilser: para ti, este poema rigorosamente sensorial e definitivo)


I
sabes faço amor contigo todos os dias
faço amor contigo todos os dias mesmo nos dias em que não faço
mesmo depois de fazer amor contigo faço amor contigo
mesmo antes de começar a fazer amor contigo faço amor contigo
quer dizer sempre faço amor contigo fazendo ou não fazendo
pensando fazer simulando fazer tendo feito ou pensando em refazer
porque é do destino fazer amor contigo mesmo não tendo feito


II
o problema é que não faço amor contigo
como tu e eu pensamos e sabemos e sentimos que fazemos
todos os dias nos dias de cada dia
nos rins retesados de cada madrugada
acontece que faço amor contigo
de uma forma ainda mais plena mais cheia de subversões
mais total mais recheada de sonho e de horizonte
faço amor com cada palavra que me escreves
com cada coisa que não disseste
faço amor com cada acto teu
com cada cumplicidade tua
com cada silhueta tua
faço amor com o que fazes deixas de fazer ou não farás
faço amor com cada sonho teu
com cada gesto teu quando te encostas ao futuro
com cada alma tua que viaja em cada movimento teu
pleno parcial incerto fugaz mas sempre teu
faço amor com cada desvão teu
mesmo o mais simples e estrangeiro ao hábito
faço amor com cada passado teu
com cada espiga do teu ser
com cada machamba do sonho que me és
sem paragem sem começo apenas acto puro


III
faço amor com cada parte de ti mesmo antes de nos encontrarmos
mesmo antes de nos conhecermos
mesmo depois de nos despedirmos
já fazia amor contigo antes de te conhecer vê lá tu
afinal sempre fiz amor contigo esta a verdade
porque nós nunca fazemos amor
como fazemos ou julgamos fazer ou sentimos fazer fazendo
porque fazer amor como deve ser feito
como afinal nunca foi feito
é fazer amor mesmo quando o não fizemos
(vá deixa repetir amor é repetir)
mesmo quando o não fazemos
mesmo quando o faremos porque o faremos


IV
por isso bela alma da minha savana
chegou uma vez mais a hora
aquela hora que criada resta incriada
que executada requer reexecução
que terminada exige recomeço
pronto chega de palavras amoremos agora
naquele jeito sensorial que sempre será o nosso


Mando
________________
Como vês, procedi a algumas alterações em relação à versão que te mandei na semana passada.