sábado, dezembro 23, 2006

Minha Il

Tete, 21 de Dezembro de 2006

Minha doce Il

Obrigado pela tua carta, que foi e que é sempre um lenitivo para esta separação tão cruel.
O ano aproxima-me rapidamente do fim e creio que não poderemos estar juntos até ao próximo. Vou enviar-te, talvez amanhã, algumas prendas para ti e para a Néli.
Ouve: aqui estou sem estar, custa-me cada vez mais estar sem te estar, acho que o destino tem sido muito cruel para nós.
De dia o trabalho ajuda-me a passar o tempo. Mas noite chegada, a dor começa. E imagino-te em casa, esposa de quem não sou eu. Como dói, minha Il, como dói.
Permite-me ficar por aqui hoje, triste, irremediavelmente triste.
Teu.
Almo-te.

Armando

3 Comments:

Blogger Aut said...

Diga não à tristeza que sente.
Ela é sua e o resto é apenas questão de tempo...
Assim desejo e espero.

sábado, dezembro 23, 2006 7:44:00 da tarde  
Blogger Diva said...

Mando...

Que este natal seja o ultimo que passem separados... e que seja a renovacao do vosso amor.
Bjs meus

sábado, dezembro 23, 2006 8:18:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Queridinho Mando,

Vais me enviar prendas? Que coisa ótima.Adoro receber presentes,mas tem de ser caros, pois sou refinada, e meu marido ricão só me presenteia com belos e caríssimos presentes ok? A nelí não precisa de nada não.Manda tudo só para mim.Como pode estar sem estar? tse, tse, acho que estás a ficar tonto, louco mesmo.Sente dor quando a noite chega? Toma uma aspirina que logo passa viu? Eu naõ sinto nenhuma dor, estou cercada de lacaios por todos os cantos, a fartura me chega por todos os lados,e o meu tolinho esposo está sempre a me paparicar.Hummmmmm, é tão bom este estado de comodismo.
Pedes minha permissão para ficares triste? Oh! Tolinho!.Fica,fica aí que estou aqui super feliz.Nem penso em ti.
Adeuzinho tristonho Mando.
Não Tua,
Almando teus presente,

Ilser

domingo, janeiro 07, 2007 8:59:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home